Blog

Edital Itaú Ecomudança 2021


O Edital Itaú Ecomudança 2021 visa selecionar e financiar projetos e/ou negócios de impacto com enfoque na redução de emissão de gases de efeito estufa e adaptação climática, com potencial de inclusão social através da geração de emprego e/ou renda.

Inscrições até 27/08/2021 – 18:00   – Valor até 90.000,00

O Programa Ecomudança selecionará iniciativas em duas frentes de apoio:

  • Apoio a projetos: propostas de Organizações da Sociedade Civil (OSCs) que apresentem o desenvolvimento de uma tecnologia social com potencial de gerar renda aos beneficiários, capacidade de se manter financeiramente a longo prazo e que contenham atividades que promovam diretamente a mitigação ou a adaptação às mudanças climáticas;
  • Apoio a negócios de impacto: propostas de empresas privadas que têm a missão explícita de gerar impacto socioambiental ao mesmo tempo em que produzem resultado financeiro positivo de forma sustentável, bem como Cooperativas. Serão considerados negócios em fase inicial, com a ideia já validada.

Poderão se inscrever projetos ou negócios de impacto que se enquadrem nas frentes de Energia Renovável ou Florestas:

  • ENERGIA RENOVÁVEL: iniciativas que promovam pelo menos um dos eixos abaixo:

a) a substituição de fontes não renováveis de energia por energia renovável em comunidades socioeconomicamente vulneráveis ou em organizações que promovam atendimento direto a esse público;

b) o acesso à energia renovável por pessoas, comunidades ou organizações que não sejam atendidas atualmente por uma rede de distribuição elétrica;

c) o acesso a tecnologias com maior eficiência energética e promoção de seu acesso a públicos vulneráveis e/ou organizações que os atendam diretamente.

  • FLORESTAS: iniciativas que promovam pelo menos um dos eixos abaixo:

a) a implantação, qualificação ou expansão de Sistemas Agroflorestais (SAF);

b) o desenvolvimento ou fortalecimento de cadeias de produtos florestais da sociobiodiversidade (não madeireiros), promovendo o acesso ao mercado e a geração de renda a povos tradicionais, quilombolas e/ou rurais;

c) a recuperação e conservação dos recursos naturais e da agrobiodiversidade, que sejam essenciais aos povos e comunidades tradicionais para assegurar sua segurança alimentar, qualidade de vida e/ou integridade de seu patrimônio sociocultural;

d) a recuperação de florestas nativas e/ou áreas degradadas de, no mínimo, 5 hectares.

Mais informações, entre em contato com [email protected]

Compartilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •